Slider (Add Label Name Here!) (Documentation Required)

as mãos já lhe tremiam e não fazia frio

"Querido avô,
as saudades que me fazes não são possíveis de serem descritas com palavras.
A família já não ocupa todos os lugares nos jantares de natal... ainda ponho o teu prato na mesa e encho o teu copo de vinho... ainda tenho esperança que apareças fisicamente. 
Os dias aparentavam ser todos normais, continuava envolvida nas minhas artes a tentar usar todas as minhas cores para pintar todos os dissabores de que me quero esquecer. Depois o papá foi operado e as mãos dele começaram a tremer... cá em casa diziam para eu estudar e focar-me na escola para ser alguém mas eu não sou parva... vi o dinheiro a faltar debaixo deste tecto e os trocos no meu porquinho não eram suficientes..."

"Os dias estão muito difíceis cá em casa, ninguém ajuda e sinto que o papá não vai estar muito tempo comigo... dás-lhe um beijinho por mim quando ele estiver ao teu lado? "

"O papá deixou de trabalhar e a mamã mal tem tempo para respirar... já não são só as mãos que lhe tremem no corpo... parece grave. O mano também foi embora, acho que não aguentou a pressão ou então sentiu-se inútil como eu... não tenho coragem para fugir..."

"Hoje dei o dinheiro do meu mealheiro à mamã e ela sorriu e disse para ir fazer os trabalhos de casa... não me consigo concentrar... O papá já conduz outra vez mas duvido que volte a trabalhar..."

"Querido avô, hoje jantámos todos juntos cá em casa e eu já sou uma mulher, estarias orgulhoso de mim, dirias que tenho a força da minha mãe e os traços do meu pai, dirias que sou uma guerreira!
Parecemos todos felizes e acho mesmo que estamos todos melhor.
Aparece entretanto, a tua comida vai ficar fria."

1 comentários

  1. Fiquei bastante emocionada com estes teus excertos as saudades que um pessoa têm sempre.
    Já sigo o blog
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar