Slider (Add Label Name Here!) (Documentation Required)

demência dos 20

Eu pensei em pegar numa das tuas gravatas, prendê-la ao meu candelabro e metê-la ao pescoço num nó meticulosamente cuidado, mas não me fez sentido querer morrer no teu perfume. Seria como morrer nos teus braços e eu já há muito que sou um mero cadáver enterrada neles.
Tive a ideia de me atirar para o meio da estrada para que um carro me levasse no seu para-choques... não quis ser um fardo na consciência de um pobre coitado sem culpa, nem traumatizar uma criança no banco de trás por ter que ver os pais a limpar o meu sangue do vidro para continuar o caminho, só porque decidi ser louca aos olhos de cada psiquiatra que me tentou ajudar ao roubar-me a carteira.
Ainda ponderei em saltar de um penhasco mas tive medo de me absorver em arrependimentos durante a queda, ou, talvez, durante o banho, com uma pequena lâmina de uma gilete gasta, acertar numa veia e deixar-me levar à medida que o sangue jorraria dos meus pulsos, mas é uma freira que limpa a casa sem aviso prévio, fá-lo apenas porque tem pena de mim e eu deixo-a, e, envolvê-la nos meus pecados seria meramente egoísta... e ela rezaria por mim e pela minha paz enquanto chorava pelo meu corpo deteriorado e eu vaguearia pelos infernos.
Apesar de querer fazer isto por mim não quero perturbar ninguém, quero fazê-lo na minha solidão, sem que ninguém me note, como aquele mendigo que dorme na esquina que cruzo a caminho do trabalho.
Por fim, lembrei-me de falecer durante o sono, com uma dose bem aviada de calmantes que aqueles tantos "senhores doutores" me receitaram para a demência... talvez tivesse um sonho feliz, talvez me livrasse de todos os pesadelos antes de me tornar um. Mas, e se eles me curam? Se me levam esta tristeza e me tornam em mais uma dona de casa aparentemente feliz, casada contigo, a passar a gravata que há pouco quis que me roubasse o ar e com ele a vida?...
Nasci enfraquecida, já a chorar, sem a mínima vontade de viver, e agora, nos meus vinte e poucos só queria uma pequena solução de largar este corpo que me pesa e me prende.

0 comentários:

Enviar um comentário